Músicas que fizeram história

A história da música mundial apresenta inúmeros exemplos de canções que fizeram a diferença num mundo que sempre esteve longe de ser perfeito.

Aliás, desde os seus primórdios que a música funcionou, em algumas situações, como um meio de libertação da realidade e como forma de combater uma realidade muitas vezes adversa.

Mas o nascimento da música panfletária propriamente dita, ou seja, a música de intervenção, a música que tem como objetivo claro e específico o “combate” por uma determinada causa, surge no século XX, o século da liberdade, o século que assistiu ao eclodir das liberdades individuais, da liberdade de expressão e o século que assistiu à afirmação definitiva da mulher enquanto interveniente numa sociedade da qual estivera arredada desde sempre.

Decidimos lhe deixar aqui uma lista das 5 músicas que nacentral-park-1133356_960_720 nossa opinião mais contribuíram para abalar mentalidades e que ainda hoje marcam quando são ouvidas, provando assim a sua intemporalidade. São músicas que fizeram história no seu tempo e que continuam a invocar a vitalidade das causas que defendiam:

  • “Fight the Power” (Public Enemy, 1989) – brutalmente explícita na denúncia da forma como a América Negra continuava a ser tratada, ultrapassou fronteiras e tornou-se num grito de revolta e num apelo à ação por todo o mundo onde injustiças imperavam;
  • “Do They Know It’s Christmas” (Band Aid, 1984) – conjunto de artistas unidos conseguiram, através da música, alterar a forma como as pessoas comuns encaravam a ajuda oferecida ao continente africano;
  • “Imagine” (John Lennon, 1971) – que dizer sobre essa música? Apenas que se converteu no hino global pela paz;
  • “God Save the Queen” (Sex Pistols, 1977) – com seu tom irreverente muito particular, os Sex Pistols lançam essa música durante as celebrações do Jubileu de Prata da Rainha se tratando de uma espécie de hino antimonárquico em que se afirma que a monarquia é um regime fascista – nunca mais se olhou para a monarquia inglesa da mesma forma!
  • “Happy Birthday” (Stevie Wonder, 1981) – essa música, e uma petição com 6 milhões de assinaturas, viabilizaram a oficialização do aniversário de Martin Luther King como feriado.